Meteorologia

Agasalhe-se, as temperaturas vão descer até 9 graus

660

A descida de temperaturas, entre os 4 e os 9 graus Celsius, vai decorrer a partir de quarta-feira em Portugal Continental devido a uma massa de ar continental mais fria e seca.

Esta segunda e terça-feira prevê-se céu pouco nublado ou limpo temporariamente com alguma nebulosidade e as temperaturas não vão sofrer alterações relativamente ao que têm estado nos últimos dias

JOSÉ COELHO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

As temperaturas vão descer entre 4 e 9 graus Celsius a partir de quarta-feira em Portugal continental devido a uma massa de ar mais fria e seca, adiantou à agência Lusa a meteorologista Maria João Frada. De acordo com a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), na segunda e terça-feira prevê-se céu pouco nublado ou limpo temporariamente com alguma nebulosidade na zona fronteiriça da região norte durante a tarde e as temperaturas não vão sofrer alterações relativamente ao que têm estado nos últimos dias.

“Depois na quarta-feira e previsivelmente até pelo menos ao dia 20 ou 21 [sexta-feira ou sábado] vamos ter frio mais a sério porque neste momento o que temos a afetar o continente é uma massa de ar polar que vem na circulação do anticiclone que está localizado a noroeste da Península Ibérica e gradualmente até quarta-feira esse anticiclone vai-se estender em direção ao interior da Europa, principalmente Europa de norte”, disse.

Segundo Maria João Frada, o anticiclone vai ter um posicionamento diferente dando origem a uma corrente de leste com transporte de uma massa de ar continental, portanto mais fria e seca. “Já não vai ser polar, vai ser uma massa de ar com características termodinâmicas e ar Ártico, ou seja, é mais seca e fria relativamente ao que temos tido até agora. Por isso, prevê-se, com um grau de probabilidade muito elevado, que a partir de quarta-feira ou exatamente na quarta-feira haja uma descida significativa da temperatura quer da mínima quer da máxima”, explicou.

Na sequência desta massa de ar fria e seca, está prevista, segundo Maria João Frada, uma descida da temperatura mínima da ordem dos 4 a 6 graus e uma descida das máximas de 7/8 ou 9 graus. “As mínimas serão de zero graus junto ao litoral. Nas regiões do interior serão inferiores a zero, variando entre -3 e -7 graus no interior norte e centro. As máximas não vão ultrapassar os 10 graus, com exceção do Algarve onde podem chegar aos 12/14 graus. No interior haverá sítios onde serão mesmo inferiores aos 5 graus”, disse.

A meteorologista do IPMA indicou também que devido à massa de ar seca e fria, os valores da humidade são muito baixas, sendo provável que não haja precipitação e a ocorrer seria de neve”, disse. “No entanto, estamos a prever geada no litoral e como a humidade é relativa é provável que haja geada negra [geada com características que leva à destruição da planta]”, disse.

Assim, para as regiões do interior norte e centro as temperaturas mínimas serão de -3 e -7, no interior sul de -2/-3 a zero graus, no litoral entre 2 e zero, com exceção do Algarve entre 2 e 4 graus. No que diz respeito às máximas, serão inferiores a 5 graus no interior norte e centro, no litoral entre 8 e 9, com exceção do Algarve entre 12 e 14.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)