O excedente do comércio internacional de serviços da União Europeia (UE) baixou, em 2015, para os 145,9 mil milhões de euros, face aos 170,4 mil milhões de 2014 e aos 177,7 mil milhões de 2013, segundo o Eurostat.

De acordo com o gabinete oficial de estatísticas da UE, a redução no excedente do comércio internacional de serviços — que se verifica pelo segundo ano consecutivo — explica-se pelo facto de as importações de serviços terem progredido mais rapidamente (de 602,2 mil milhões de euros em 2014 para 685 mil milhões em 2015 — uma subida de 14%) do que as exportações (de 772,5 mil milhões em 2014 para 831,5 mil milhões de euros em 2015 — mais 8%).

Em 2015, os Estados Unidos (27% das exportações totais de serviços da UE e 31% das suas importações) permaneceram o principal parceiro externo do bloco europeu no que respeita a serviços, seguindo-se os membros da Associação Europeia de Comércio Livre (AECL — Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça), que representaram em 2015 18% das exportações de serviços e 13% das importações.