Televisão

Marcelo Rebelo de Sousa na estreia do programa “Fronteiras XXI”

A RTP juntou-se à Fundação Francisco Manuel dos Santos para criar o "Fronteiras XXI", um novo programa mensal que traz a debate os grandes temas que desafiam Portugal e o mundo.

Marcelo Rebelo de Sousa é um dos convidados do primeiro "Fronteiras XXI", que estreia a 1 de fevereiro

JOSE SENA GOULAO/EPA

A partir de fevereiro, os grandes temas da atualidade vão ganhar um novo espaço na televisão portuguesa com o Fronteiras XXI, o novo programa da RTP 3 que resulta de uma parceria com a Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS). O primeiro convidado de peso já foi revelado: o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa estará presente no primeiro de dez debates, já no dia 1 de fevereiro.

Moderados pelo apresentador Carlos Daniel, os dez debates do Fronteiras XXI serão emitidos em direto a partir do Teatro Thalia, em Lisboa. Na apresentação do novo programa, que decorreu esta terça-feira no teatro, Carlos Daniel garantiu que o leque de convidados será “excelente” e que incluirá especialistas nacionais e estrangeiros. “Teremos convidados em estúdio” e, sempre que possível, serão ouvidos “grandes especialistas em reportagem”, explicou.

O programa será transmitido na presença de uma plateia selecionada, de cerca de duas dezenas de espectadores. A escolha será feita a partir do site do programa, onde existe uma secção dedicada a comentários e questões. Os autores dos melhores comentários terão um lugar marcado no teatro.

Marcelo Rebelo de Sousa discute o Populismo

O primeiro programa será dedicado ao Populismo e, além de Marcelo Rebelo de Sousa, terá como convidados os professores Mónica Brito Vieira, da Universidade de York, e João Pereira Coutinho, da Universidade Católica. As biografias dos convidados e outros materiais que ajudam a perceber o fenómeno e o seu crescimento na Europa podem ser consultados no site do programa, que foi também posto “no ar” esta terça-feira.

O site pretende fazer “uma ligação entre programas” e servir também de “preparação para o debate”, tornando-se numa espécie de “arquivo digital que vai antever todas as séries”, como explicou o apresentador Carlos Daniel. Os espectadores vão poder encontrar aí vários documentos que ajudarão a contextualizar o tema e o debate seguinte, aos mesmo tempo que ficará sempre disponível a informação relativa aos programas anteriores. Num programa que pretende ser interativo, o site permite também endereçar questões aos convidados (já se encontra disponível a opção “Pergunte ao Presidente”).

Além do Populismo, o Fronteiras XXI irá explorar temas atuais como as migrações e o seu efeito, a tecnologia e o clima, adiantou Paulo Dentinho. Serão “momentos para pensar” e debater, sem haver a pretensão de que serão encontradas respostas. “Porque não vamos tê-las”, garantiu o diretor de informação da RTP. “Quando se fala neste tipo de assuntos, as pessoas tendem a pensar em algo aborrecido. O objetivo é fazer com que os temas motivem“, afirmou por sua vez Carlos Daniel.

O Fronteiras XXI será transmitido em direto do Teatro Thalia na primeira quarta-feira de cada mês (ao todo serão dez debates), a começar no dia 1 de fevereiro. Mas atenção: as datas podem vir a sofrer alterações, uma vez que as emissões estão dependentes da disponibilidade dos convidados.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
25 de Abril

O Governo Ensombrado vai ao circo

Manuel Castelo-Branco
3.297

Se hoje é possível um programa como o Governo Sombra, foi porque o Copcon de Otelo não vingou. Porque apesar de serem “apenas” 17 vítimas mortais, as FP25 foram desmanteladas e os seus membros presos.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)