481kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Estado paga 6,53 euros por cada chamada recebida pela Linha Saúde 24

Este artigo tem mais de 5 anos

O Bastonário da Ordem dos Médicos atacou, a Direção Geral de Saúde reagiu: cada chamada feita para a Linha Saúde 24 custa, ao Estado, 6,53 euros, em média. E não os 12 euros avançados pelo bastonário.

Nos últimos dez anos de funcionamento, a Saúde 24 recebeu o contacto de mais de 2,3 milhões de cidadãos
i

Nos últimos dez anos de funcionamento, a Saúde 24 recebeu o contacto de mais de 2,3 milhões de cidadãos

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Nos últimos dez anos de funcionamento, a Saúde 24 recebeu o contacto de mais de 2,3 milhões de cidadãos

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Sempre que liga para a Linha Saúde 24 gasta cerca de oito cêntimos por minuto. Por esse mesmo telefonema, o Estado paga à empresa que mantém o funcionamento do centro de atendimento do Serviço Nacional de Saúde (SNS), em média, 6,53 euros. Os valores foram divulgados, esta quarta-feira, pela Direção Geral de Saúde (DGS), depois de o bastonário dos médicos ter dito, em entrevista ao JN, que o Estado paga entre 12 a 16 euros por cada chamada recebida pela Saúde 24.

Além do valor por chamada, a DGS refere que “o Contrato de Prestação de Serviços para a exploração do Centro de Atendimento do Serviço Nacional de Saúde, designado Saúde 24, está disponível para consulta no portal base.gov e tem como valor contratual anual 4.999.222,45 euros“, acrescentando que a “empresa que mantém em funcionamento a Saúde 24 foi selecionada por procedimentos visado pelo Tribunal de Contas”.

A Direção Geral de Saúde prossegue, explicando que este centro de atendimento é “sistematicamente auditado pela Direção-Geral da Saúde”.

Provavelmente, será mesmo o contrato desta natureza mais fiscalizado, em termos de rigor, em Portugal.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

E repete os números recentemente divulgados: nos últimos dez anos de funcionamento, a Saúde 24 recebeu o contacto de mais de 2,3 milhões de cidadãos. Do total de telefonemas recebidos que ascendem a cerca de 7 milhões, estima-se que foram evitadas mais de 1,4 milhões de idas desnecessárias às urgências. “Mais de 50% das chamadas ocorrem entre as 17h e a 1h da manhã, período em que os enfermeiros e os médicos nos centros de saúde, em muitos situações, já não estão disponíveis”

José Manuel Silva, que está de saída da Ordem dos Médicos, tem vindo a criticar a Linha Saúde 24 nos últimos dias. E, esta quarta-feira, na sua página de Facebook, voltou a escrever que “por cada ‘chamada resolvida’ na Linha Saúde 24, em que um telefone atende o contactante com base num rígido e singelo algoritmo, o Estado paga 16 euros à empresa que explora este milionário negócio (um valor imenso, mesmo considerando os custos fixos da empresa). Quando marcam doentes em atendimento complementar nos períodos de gripe, as administrações marcam-nos de 10/10 minutos, o que significa que cada consulta médica [nos centros de saúde] vale 2,5 euros brutos (1,25 euros líquidos). Ou seja, uma avaliação e verdadeira resolução do problema dos doentes, com imensa responsabilidade, vale, para o Estado, 2,5 euros, enquanto um telefonema vale 16 euros!!!”.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.