A Câmara Municipal de Cascais vai promover uma redução dos preços dos transportes que pode chegar aos 25%, o que corresponde a cerca de 12 euros por mês em alguns passes mensais. No resto do país, os transportes estão a ficar mais caros mas em Cascais, onde a Câmara assumiu a gestão da rede de transportes, houve um “apelo lançado pela autarquia aos operadores” e foi possível baixar os preços, o que a autarquia espera que contribua para que haja mais passageiros.

A notícia, avançada pelo Diário de Notícias, cita Miguel Pinto Luz, vice-presidente da Câmara de Cascais. “Ao contrário dos outros municípios, assumimos há sete meses a gestão dos transportes municipais e os operadores começaram a olhar para a câmara como a autoridade com quem poderiam negociar”, afiançou o autarca, que participa na apresentação do plano, que acontece esta quinta-feira.

Queríamos uma mudança que tivesse impacto na carteira das pessoas, mas também queremos apostar no transporte público”.

Miguel Pinto Luz lançou, contudo, críticas ao governo por não estar a ser recetivo a falar sobre a reabilitação dos comboios da Linha de Cascais, que se estima ter perdido 12,5 milhões de passageiros em 15 anos.

O comboio para Lisboa tem 22 milhões de passageiros por ano, na A5 – a autoestrada mais movimentada do país – passam 25 milhões. Passam lá mais pessoas do que no comboio. Temos de inverter isto. Levar as pessoas a usar mais o transporte público” .

Apesar de a revitalização da Linha de Cascais estar no programa do governo e haver fundos do Plano Juncker previstos para esse esforço, não tem sido possível falar com este governo. “No anterior governo fomos todos chamados – Lisboa, Cascais e Oeiras – para tentar encontrar uma solução e neste governo ainda não fomos ouvidos. O ministro Pedro Marques não quer discutir este assunto connosco, mas não nos calaremos. Há uma cortina de silêncio, mas há questões como a da segurança de que não abdicaremos”.