As remessas dos portugueses que trabalham nos países lusófonos africanos subiram 18,1% em novembro, para 24,61 milhões de euros, contrariando a descida de 15,1%, para 238,1 milhões, registada a nível global. De acordo com os dados divulgados pelo Banco de Portugal no Boletim Estatístico, as remessas globais dos emigrantes desceram de 280,6 milhões de euros, em novembro de 2015, para 238,1 milhões de euros em novembro do ano passado, o último mês para o qual há dados.

Olhando apenas para os portugueses que trabalham nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), a tendência é inversa: as remessas de novembro, no valor de 24,61 milhões de euros, representam uma subida de 18,1% face aos 20,83 milhões enviados no mesmo mês do ano anterior.

Os números divulgados esta quinta-feira mostram também uma subida no dinheiro enviado pelos estrangeiros a trabalhar em Portugal para os seus países de origem: as remessas aumentaram de 38 para 40,9 milhões de euros em novembro de 2016 face ao mesmo mês do ano anterior.

Já os trabalhadores dos países lusófonos em Portugal enviaram para os seus países de origem 3,9 milhões de euros, o que representa uma subida de 0,2% face aos 3,91 milhões que enviaram em novembro de 2015.