O treinador do Arouca disse, esta sexta-feira, que um triunfo na receção de sábado ao Boavista, da 18.ª jornada da I Liga de futebol, será sinal de bom trabalho, pois daria uma sequência inédita de quatro jogos a vencer. Varzim, na Taça da Liga, Tondela e Estoril-Praia foram equipas derrotadas pelo Arouca. Uma série de três vitórias não é novidade no clube, mas vencer quatro vezes seguidas nunca aconteceu, desde que a equipa chegou à I Liga, em 2013/2014. “Desde o ano passado, batemos sempre recordes e de uma forma segura. Com trabalho, rigor e dedicação, as coisas acabam por acontecer naturalmente. Se acontecer, será fantástico, porque batemos mais um recorde, mas, acima de tudo, fazemos mais três pontos, que é o que importa. Isto é sinal de que as coisas vão sendo feitas de forma equilibrada e segura”, avaliou Lito Vidigal, na conferência de imprensa de antevisão à receção aos ‘axadrezados’.

No jogo de arranque da segunda volta de campeonato, o Arouca é 9.º classificado, com 23 pontos, e o Boavista é 11.º, com menos dois. Lito Vidigal espera que o resultado deste embate seja diferente da derrota por 2-0 no Estádio do Bessa, em agosto, mas avisa que, para isso, é preciso trabalhar muito em campo.

“Aqui as coisas não acontecem por golpes de magia. Acontecem por trabalho, temos de trabalhar em campo. A nossa intenção é ganhar, mas vamos jogar contra uma equipa forte, que está bem, segura, que é um clube histórico, que vai trazer massa adepta atrás. Vai ser um jogo difícil e extremamente competitivo”, avisou.

Sem Gegé, Karl e Nuno Valente, lesionados, Lito Vidigal já conta com o seu segundo reforço de inverno, o brasileiro Keirrison, e com Bracali, o guarda-redes que tem sido aliciado a trocar o emblema arouquense para Chapecoense.

O Arouca-Boavista joga-se no sábado, às 20h30, no Estádio Municipal de Arouca, com arbitragem de Hugo Miguel, da Associação de Futebol de Lisboa.