Em entrevista à Reuters, à margem do Fórum Económico Mundial, que decorre em Davos, na Suíça, Carlos Ghosn afirmou pretender que a Aliança Renault-Nissan se mantenha líder mundial na venda de automóveis eléctricos.

Aproveitando para revelar que o consórcio franco-nipónico vendeu já mais de 400 mil automóveis deste género, desde o lançamento do Nissan Leaf, em 2010 (a que se juntou, dois anos mais tarde, o Renault Zoe), Ghosn adiantou ainda que a empresa vai aumentar investimento neste sector, vai lançar muitos novos modelos eléctricos, com melhores baterias, melhores prestações e preços mais competitivos.

O CEO da aliança reforçou, igualmente, a sua confiança na implementação deste tipo de proposta: “Há oito anos atrás, afirmámos que não existiria qualquer possibilidade de esta indústria sobreviver sem automóveis eléctricos. Os automóveis eléctricos fazem parte do futuro. A única questão é saber quão rapidamente eles se tornarão num dos maiores contribuintes para a indústria.”