“Nunca quebrei nem vou quebrar”. Apenas com o campeonato para disputar, e a oito pontos do líder da competição, o treinador do Sporting garante que está no Sporting para ficar — “sou um treinador de projeto” –, apesar de reconhecer que “os resultados não são os melhores”.

O momento é difícil em Alvalade. Mas o treinador dos leões garante que a sua continuação no banco da equipa não está em causa. “A minha resposta está dada pelo presidente. Nunca quebrei nenhum projeto nem vou quebrar!”. Recuando 24 horas, em entrevista à TSF, Bruno de Carvalho tinha dado sinais de querer ter uma voz mais ativa nas opções técnicas da equipa (por exemplo, ao pretender que seja a administração a escolher um adjunto para Jesus). Mas também deixava clara a permanência de Jesus em Alvalade. “Jorge Jesus é o meu treinador“.

Na antevisão do jogo com o Marítimo, a contar para a 18ª jornada do campeonato, Jesus reconheceu que os resultados da equipa “não são os melhores”, mas “o resto é um juízo de valor”. De tal forma que a sua permanência em Alvalade não é posta em causa — nem pela direção do clube nem pelo próprio. “Sou um treinador de projeto e, como lhe disse, também tenho durante a minha carreira situações que não foram tão boas. Mas isso cabe a mim e aos jogadores, para ultrapassarmos esta situação todos juntos”.

Apesar dos oito pontos de desvantagem em relação ao Benfica, Jesus continua a considerar que “o Sporting não está fora da corrida“. Mesmo em terceiro lugar, “tem de pensar no segundo lugar e defender ainda a possibilidade de uma segunda volta forte”, defende o treinador leonino.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Da mesma forma, Jesus rejeita que esta temporada, a segunda que passa em Alvalade e depois de ter perdido o campeonato para o Benfica no primeiro ano aos comandos da equipa — num “ano espetacular” — , o treinador rejeita que se trate de uma época totalmente falhada. “Mas temos que assumir responsabilidades e eu, como treinador, tenho que as assumir”. Para isso, “temos que contar com todos, os mais importantes são os jogadores”. E Jesus confia “plenamente” no plantel que tem à sua disposição em Alvalade.

Palavras que tentam acalmar os ânimos na equipa. Depois da derrota frente ao Chaves, que ditou a eliminação do Sporting da Taça de Portugal, Bruno de Carvalho foi ao balneário e terá pedido satisfações aos capitães da equipa, Adrien e William Carvalho. Jesus relativiza. “O presidente, depois de todos os jogos, desabafa comigo. Como eu não estava, desabafou com os dois capitães de equipa. O presidente é a autoridade máxima, tem todo o direito de fazê-lo e fê-lo com os dois jogadores porque o treinador não estava”.