O treinador do Belenenses destacou este sábado o momento positivo por que atravessa o Vitória de Setúbal, próximo adversário na I Liga portuguesa de futebol, mas salientou a “obrigação” de “jogar para ganhar” em casa.

Quim Machado, que fazia a antevisão do encontro da 18.ª jornada, marcado para domingo, referiu que os sadinos estão moralizados e que vão querer sair do Estádio do Restelo “com pontos”.

“Vamos ter pela frente uma equipa que está a fazer um bom campeonato, está acima de nós e está moralizada. No entanto, o Belenenses joga em casa e tem obrigação de jogar para ganhar, sabendo que o Vitória está bem, vai querer fazer um bom jogo e conquistar pontos”, afirmou, em conferência de imprensa.

O técnico, que orientou o Vitória na época passada, recusou-se a fazer comparações entre a anterior e atual ‘versão’ dos sadinos, ainda que tenha admitido que é uma equipa “diferente”, com “bons jogadores, como Nuno Pinto, Costinha ou Arnold”.

Por outro lado, Quim Machado confirmou que o avançado Maurides, mais recente reforço da equipa do Restelo, poderá ser opção para o jogo de domingo e revelou que os ‘azuis’ vão continuar “atentos, até ao fecho do ‘mercado'”, de forma a colmatar as “necessidades” que surgirem.

De resto, a reabertura do ‘mercado’ dominou a conferência de imprensa, sendo que o técnico admitiu que esta é uma fase da temporada que “mexe com a cabeça dos jogadores”, sobretudo quando se trata de atletas jovens, como é o caso de Fábio Sturgeon, um dos jogadores de quem se diz poder sair do Belenenses na atual ‘janela’ de transferências.

“O Fábio sempre teve mercado. É bom jogador e mentalmente forte. Já teve propostas e sabe qual é o caminho. Tenho tido algumas conversas com ele e é um miúdo extremamente equilibrado. Vai atingir outro patamar, porque merece e porque é mentalmente forte e equilibrado”, concluiu.

Belenenses, 12.º classificado com 20 pontos, e Vitória de Setúbal, 10.º com 22, jogam no domingo, a partir das 18:00, no Estádio do Restelo, em Lisboa, numa partida que será dirigida pelo árbitro Hélder Malheiro, da associação de Lisboa.