A agência de notícias oficial iraniana informou que as equipas de resgate encontraram mais quatro cadáveres de vítimas do colapso de um edifício na quinta-feira em Teerão. Até à data, apenas seis cadáveres foram encontrados.

Inicialmente, a iraniana Press TV indicou que 30 bombeiros morreram no incidente ocorrido no histórico edifício Plasco, localizado a norte da zona do mercado no coração da capital iraniana, que se desmoronou em segundos, na sequência de um incêndio. Mais tarde, as autoridades disseram que 20 bombeiros tinham morrido. Um bombeiro que ficou ferido no incidente de quinta-feira morreu depois no hospital.As autoridades não forneceram um número definitivo das vítimas.

Este foi o pior incêndio em Teerão desde que o fogo numa mesquita histórica causou a morte de 59 pessoas em 2005. O Plasco, de 17 andares, foi construído no início da década de 1960 pelo empresário judeu iraniano Habib Elghanian. Com o nome da empresa de plásticos de Elghanian, era o edifício mais alto da cidade naquela época. Elghanian foi julgado por vários crimes, incluindo espionagem, e executado nos meses que se seguiram à revolução islâmica de 1979, que colocou no poder o atual poder e desencadeou a fuga da antiga comunidade judaica do Irão.