A zona euro anunciou, esta segunda-feira, a decisão de desbloquear um ligeiro alívio da dívida grega, depois de ter suspendido esta medida sob pressão da Alemanha, na sequência de um aumento da despesa social anunciado por Atenas em dezembro.

O Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) — organismo da zona euro que controla a dívida grega — anunciou em comunicado que deu “luz verde” a medidas “de curto prazo” destinadas a aliviar os encargos com a dívida da Grécia.

Esta decisão formal avaliza o que foi anunciado em 24 de dezembro pelo presidente do Eurogrupo. Jeroen Dijsselbloem indicou, nessa ocasião, que a Grécia tinha dado garantias de continuar com determinação na via das reformas, abrindo caminho à aplicação das medidas de alívio que tinham sido aprovadas pelos ministros das Finanças da zona euro.

As medidas destinam-se a aliviar a dívida grega, designadamente a nível dos prazos de pagamentos dos empréstimos dos parceiros europeus e taxas de juro aplicadas.

Os ministros tinham chegado a acordo em 5 de dezembro, mas nove dias depois, a 14 de dezembro, as medidas de alívio foram suspensas, sob pressão da Alemanha, que contestava o facto de o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, ter anunciado uma série de medidas sociais abrangendo pessoas com reformas mais baixas e um adiamento da subida de impostos nas ilhas gregas que recebem refugiados.