O acidente com um ferry no Terreiro do Paço na manhã desta quarta-feira, que fez 37 feridos, terá tido como causa a velocidade excessiva, associada ao intenso nevoeiro que se fazia sentir em Lisboa. Foi o comandante do Porto de Lisboa quem admitiu que o barco não circulava à velocidade mais adequada: “A velocidade certamente que não era [a mais adequada], isso não resta dúvidas. Agora, foi prejudicada pela falta de visibilidade”, disse José Isabel à agência Lusa, falando numa “má avaliação” da parte do piloto. “Ao vir com essa velocidade – o comandante pensava que estava mais longe – acabou por embater no cais”, concretizou.

Dos 37 feridos, 22 foram levados para os hospitais de São José, São Francisco Xavier e Santa Maria. Uma mulher foi enviada para a maternidade Alfredo da Costa, por estar grávida de 19 semanas. A mulher já terá feito exames, incluindo uma ecografia, e “está bem”, afirmou o porta-voz do Hospital de São José. Os feridos que estão naquele Hospital não apresentam ferimentos de “grande importância”, sendo que as feridas são “pequenas” e resultantes das quedas. Ainda estão a ser realizados alguns exames, para que se possa saber quem vai ter alta e quem ainda tem que ficar hospitalizado.

Todos os feridos são ligeiros, tendo havido apenas um homem com uma fratura num membro inferior. Dos feridos, 32 são mulheres e 2 são homens. Os feridos encontravam-se de pé, perto da zona de saída e prontos a desembarcar, tendo sido projetados em várias direções no momento do embate.

O nevoeiro não foi considerado a única causa do acidente, uma vez que se trata de uma situação normal e os comandantes, normalmente são experientes, sabem calcular a distância de segurança quando atracam. Foi feito o teste de alcoolemia ao capitão, que acusou zero.

O capitão quis ressalvar ainda que os passageiros são informados que não se devem levantar antes do barco atracar, uma vez que existe sempre uma possibilidade de situação de perigo. Sempre que o barco atraca, existe um embate no cais, ainda que não costume ser violento. Alfredo Isabel quis ainda destacar a intervenção muito rápida do INEM e dos Bombeiros dos Sapadores, que se deslocaram prontamente ao local, numa “articulação perfeita” com todas as autoridades.

O acidente ocorreu às 8h39, confirmou o Observador junto de fonte dos Sapadores de Lisboa, com um catamarã que seguia do Barreiro para Lisboa. Vinham a bordo 565 pessoas, incluindo quatro tripulantes.

O INEM enviou para o local 10 meios, 4 ambulâncias dos bombeiros e 4 ambulâncias do INEM. Esteve ainda presente uma ambulância do Hospital São José e três unidades hospitalares para receberem os feridos ligeiros.