Equipas de resgate recuperaram mais vítimas mortais dos escombros de um hotel italiano atingido na quarta-feira da semana passada por uma avalanche, elevando para 24 o número de mortos. Há ainda cinco pessoas desaparecidas, que estarão, presumivelmente mortas.

Desde a passada sexta-feira, dia em que foram localizados onze sobreviventes (incluindo quatro crianças) nos escombros do hotel, que não são registados sinais de vida humana debaixo das várias toneladas de neve que soterraram o hotel Rigopiano de Farindola, situado a 1.300 metros de altitude na cordilheira dos Apeninos, na região de Abruzzo (centro de Itália).

Na segunda-feira, as equipas de resgate retiraram três cachorros vivos dos escombros, uma indicação de que poderia ainda haver pessoas vivas no interior. No total, 11 pessoas, entre funcionários do hotel e hóspedes, sobreviveram ao acidente. Dois dos sobreviventes estavam na zona exterior do hotel quando ocorreu a avalanche.

Os trabalhos de busca para encontrar possíveis sobreviventes continuam no terreno de forma ininterrupta. Estão mobilizados cerca de 150 efetivos, incluindo militares, bombeiros, polícias e membros da Cruz Vermelha ou dos serviços de socorro da região, que estão a trabalhar por turnos.

Segundo as equipas de resgate, os quartos que se encontravam nos andares mais altos do hotel foram completamente arrasados pela avalanche de neve, possivelmente provocada por uma série de sismos de magnitude superior a 5 na escala de Richter registados na quarta-feira de manhã naquela região. Entre os adultos sobreviventes, apenas um permanecia na terça-feira hospitalizado após ter sido operado a um braço. Uma criança de sete anos era a única que ainda estava hospitalizada.