O rei emérito espanhol Juan Carlos poderá estar implicado no ‘caso Pujol’, que investiga evasão fiscal e branqueamento de capitais por parte do antigo presidente da Catalunha, Jordi Pujol. A sua mulher e os seus filhos estão também a ser acusados.

Segundo avança esta segunda-feira o diário espanhol El Mundo, foram adicionadas ao sumário judicial do caso notas onde consta que a família Pujol mantinha negociações privilegiadas com o Centro Nacional de Inteligência espanhol. Nessas notas estarão provas de que o antigo presidente da Catalunha e respetiva família teriam privilégios ao nível judicial e em troca prometiam que alegadas informações sensíveis sobre o rei emérito não seriam tornadas públicas. Entre elas, dinheiro que o pai de Filipe VI teria na conta ‘Soleado’ do caso Gürtel (caso que remonta a 2007 e diz respeito a uma mega investigação anti-corrupção dentro do Partido Popular espanhol).

Recorde-se que Jordi Pujol, ex-presidente da Catalunha de 1980 a 2003, a sua mulher Marta Ferrusola e os seus filhos, estão desde 2012 sob a mira das autoridades espanholas por suspeitas de evasão fiscal e branqueamento de capitais.