2016 foi um ano de prémios para o Banco Santander Totta, que arrecadou boa parte das distinções da imprensa especializada nacional e internacional, das instituições de monitorização e avaliação e ainda dos consumidores. A cartografia deste grande banco, num momento de franco crescimento, é traçada pelo seu Presidente Executivo, António Vieira Monteiro.

O lema O Banco de Todos Nós reflete uma aposta clara do banco na generalização dos seus produtos. O Santander Totta mantém-se fiel a um outro lema, do então Banco Totta Açores, que entrou na gíria nacional no século passado: Quem quer dinheiro vai ao Totta?
O Banco Santander Totta vai continuar a contribuir para o desenvolvimento das pessoas e das empresas. Esta é a nossa missão. E, por isso, o banco que lidero tem uma forte ligação à economia portuguesa, apoiando projetos impulsionadores, ao mesmo tempo que reforça o apoio às famílias e à comunidade. Clientes, colaboradores e acionistas têm hoje uma maior perceção da presença do Santander Totta na sua vida, da notoriedade da nossa marca.

Qual o melhor barómetro para se avaliar essa visibilidade?
Os números falam por si: nos últimos anos, o banco concedeu quase €34 mil milhões de crédito a empresas e perto de €7 mil milhões a particulares. Estes números são o resultado do nosso apoio ao desenvolvimento da economia portuguesa (com as maiores quotas de produção de crédito), ajudando as empresas a crescer, contribuindo ativamente para o desenvolvimento dos seus negócios, apoiando na sua internacionalização e ouvindo a competência dos gestores portugueses todos os dias. Se quiser, esta é uma versão moderna do Quem quer dinheiro vai ao Totta. Este Banco de Todos Nós é um Banco Simples, Próximo e Justo.

Os valores que refere, como a simplicidade e a justiça encontraram eco junto dos clientes e das instituições reguladores e mediadoras. O Banco Santander Totta tem vindo a ser distinguido com vários prémios nos anos recentes. Só em 2016, foram 6 distinções e prémios. A fasquia está elevada, é possível mantê-la ou até elevá-la ainda mais em 2017?
As distinções e os prémios que o Santander Totta tem vindo a receber deixam-me muito satisfeito. São o resultado do trabalho de uma grande equipa. Todas as pessoas que trabalham no Santander Totta estão de parabéns. Sobre o futuro, e apesar dos desafios constantes que uma instituição tem que enfrentar, encaro os próximos tempos de modo muito positivo. Se soubermos evoluir e estar atentos aos clientes, vamos continuar a ser reconhecidos.

Os prémios foram atribuídos por diferentes entidades, desde revistas financeiras especializadas, quer nacionais quer internacionais, a organizações de monitorização da satisfação dos clientes. Além da justiça e da simplicidade, falava da proximidade com o cliente. Será este um dos ingredientes da receita para ter tão bons desempenhos aos olhos dos especialistas e simultaneamente ir ao encontro da satisfação dos clientes?
Estes resultados estão em linha com a estratégia que o banco traçou para prosseguir com o seu crescimento. As nossas equipas estão motivadas e têm objetivos muito claros. Sem qualquer ajuda estatal e do acionista, apresentámos os melhores resultados, os melhores rácios e os melhores ratings do sector, performance que acaba por se refletir nos prémios que nos são atribuídos. Creio que as distinções que temos vindo a receber são inteiramente merecidas. No que diz respeito, por exemplo, à satisfação dos clientes, sim, sentimos que essa declaração se deve à relação que os mesmos mantêm connosco diariamente. Sentimos que os nossos clientes dão muito valor a esta proximidade que temos vindo a implementar no nosso Banco. Os nossos clientes querem ter a certeza que contam com um parceiro que os ajuda a pensar em estratégias de crescimento para o seu negócio. E nós estamos aqui precisamente para ajudar a fazer crescer os negócios.

Numa conjuntura económica e financeira difícil como a que a Europa atravessa, e Portugal em particular, como é possível ser eleito o melhor grande banco na vertente dos 3 R’s: melhores Resultados, melhores Ratings e melhores Rácios?
Os bons resultados do Banco decorrem do crescimento orgânico da nossa atividade, do controlo de custos e da nossa política de risco de crédito. Entre 2008 e 2016, o Santander Totta gerou 1.800 milhões de euros de capital por meios próprios reinvestidos no banco e, portanto, na economia portuguesa.

O rating do Banco Santander Totta mantém-se como o melhor do sistema financeiro, para todas as agências de notação. Mesmo já após a aquisição dos ativos e passivos do ex-Banif, as agências reiteraram esses ratings, superiores aos da República.

Por outro lado, o rácio CET 1 ascendeu a 15,7% e o rácio CET 1 fully implemented foi de 14,9%, fruto da capacidade de geração interna de capital e apesar do impacto da aquisição dos ativos e passivos do ex-Banif.

O Santander Totta continua a apresentar níveis de capitalização bastante elevados, claramente acima dos requisitos mínimos exigidos pelo BCE ao abrigo do SREP (Supervisory Review and Evaluation Process). Estamos preparados para enfrentar os desafios que se avizinham para os próximos anos.

Estamos no Século XXI, numa época digitalizada e de multicanais e plataformas. O que podem os clientes do Banco Santander Totta esperar, nesta matéria, no futuro mais próximo
O setor da banca está, sem dúvida, em transformação. Andamos a alta velocidade. No nosso dia a dia, um dos grandes desafios que enfrentamos é a incorporação da tecnologia em tudo o que fazemos. E temos que ser inovadores. E geradores de confiança. E, no fim, ter sucesso no desenho de uma organização com uma cultura digital.

Isso implica novas aposta neste sector específico…
É uma estratégia de reorganização da rede comercial do Banco, que assenta na integração dos novos meios digitais e na tentativa de criar uma maior proximidade e especialização no atendimento ao cliente. Um inovador modelo de relacionamento com o cliente baseado na proximidade, acessibilidade e simplicidade, aliado às tecnologias da era digital. Temos ainda investido nas várias plataformas tecnológicas digitais para podermos entregar um serviço cada vez mais célere aos nossos clientes.

Quer dar alguns exemplos?
Inaugurámos um novo Balcão em Lisboa, que é o protótipo do balcão do futuro e que integra já novas formas de inter-relação com os clientes, um conceito inovador que valoriza o atendimento personalizado e aposta forte nas novas tecnologias digitais. Todas as nossas agências têm wifi e quiosques NetBanco. Criamos outras soluções inovadoras, como por exemplo, abertura rápida de conta em tablet, sem papel, entre outras. A nossa oferta digital tem registado um bom acolhimento, atingindo cerca de 500 mil clientes digitais. Vamos continuar a investir e pôr foco na nossa oferta digital nos próximos anos.

Com confiança junto dos clientes, do mercado e dos analistas, a solidez nas contas do Santander Totta é garantida essencialmente com base na atividade em Portugal. O mercado português tem lugar para tantos grandes bancos?
O sistema bancário português vai ainda enfrentar desafios importantes em 2017. Necessidades de capitalização, reestruturações acionistas e venda de instituições bancárias são algumas das situações que marcarão os próximos tempos. Esperamos que sejam passos decisivos que contribuam para ultrapassar as dificuldades que alguns bancos têm enfrentado e que permitam ajudar ao cumprimento da principal missão do sector: o apoio à economia, às empresas e às famílias por instituições sólidas e sustentáveis.

E como antevê a evolução do sector no panorama internacional?
A nível internacional, o setor financeiro continuará a assistir a processos de consolidação em resultado de um quadro regulatório cada vez mais exigente, de necessidades de capital crescentes e de uma concorrência originada em players tecnológicos que não estão sujeitos ao mesmo quadro regulatório mas que disputam negócios de intermediação até hoje só desenvolvidos pelos bancos. Tudo isto vai continuar a pôr pressão no setor não só em 2017 mas nos próximos anos.