O West Ham, clube que transferiu o futebolista Dimitri Payet para o Marselha, lamentou esta segunda-feira a falta de respeito que o internacional francês demonstrou, forçando a sua saída de Londres.

“Expressamos uma sincera deceção por Dimitri Payet não ter mostrado o mesmo entusiasmo e respeito que o clube e os adeptos lhe deram, particularmente quando lhe foi proposto no último ano um lucrativo contrato de cinco anos”, referiu o clube.

O West Ham, através do seu presidente adjunto, David Sullivan, disse ainda, no comunicado em que formalizou a transferência, que nunca existiu necessidade financeira de vender os melhores jogadores. “Gostaria de enfatizar que a decisão de permitir que Payet se fosse embora corresponde ao desejo do treinador em função dos interesses na unidade do plantel”, explicou.

A saída do médio francês, por 30 milhões de euros, já era esperada há algum tempo, sobretudo depois de o jogador forçar a saída, regressando assim ao Marselha, que o tinha vendido em 2015 ao West Ham, por 15 milhões.

“Para ser franco, a minha direção e eu preferíamos que tivesse ficado, de modo a servir de exemplo, porque nenhum jogador é maior do que um clube”, salientou Sullivan, que acabou por fazer a vontade do treinador Slaven Bilic, em nome do grupo.