O Deutsche Bank vai ter de pagar uma multa na ordem dos 425 milhões de dólares (cerca de 396 milhões de euros) por ter violado a lei anti-lavagem de dinheiro, ao ter falhado na deteção de num esquema do género que envolveu compra e venda de ações, feitas através do banco, por milionários russos. No comunicado divulgado pelo Departamento de Serviços Financeiros de Nova Iorque estima-se que nestas operações os milionários em causa tenham conseguido desviar 10 mil milhões de dólares da Rússia.

O Departamento afirma que o Deutsche Bank “falhou inúmeras oportunidades para detetar, investigar e travar este esquema” e que as falhas de vigilância permitiram que o esquema continuasse “durante anos”.

O Departamento Financeiro considerou que o Deutsche Bank e vários dos seus administradores seniores falharam oportunidades-chave para detetar, intercetar e investigar um duradouro esquema de negociações-espelho facilitado pela filial em Moscovo, envolvendo as filiais de Nova Iorque e Londres” do banco.

O esquema estava montado em dois tempos. Numa primeira fase do processo de lavagem de dinheiro, um cliente do banco em Moscovo dava ordem de compra de ações em nome de uma empresa russa, sempre pagas em rublos. Num segundo tempo, a filial de Londres do Deutsche Bank dava ordem para comprar as ações pelos mesmo valor e quantidade, mas em euros, que acabavam em empresas com sede em paraísos fiscais.

Por causa destas operações, realizadas em 2010 e 2015, o banco esteve sob investigação pelas autoridades americanas que não só aplicaram uma multa elevada à instituição financeira alemã, como ainda ordenaram que fosse contratado um auditor independente para evitar novas situações do género.