Presidente Trump

Governador do Banco do Japão diz que G7 e G20 travarão protecionismo de Trump

O governador do Banco do Japão considera que, apesar da insegurança das posturas protecionistas de Trump, as políticas que defendem o G7 e o G20 evitarão que estas tendências alastrem a nível mundial.

Ao ser questionado sobre a recente proibição aprovada pela Casa Branca de conceder vistos de entrada aos cidadãos de sete países muçulmanos, Kuroda recusou pronunciar-se

KIMIMASA MAYAMA/EPA

O governador do Banco do Japão considerou esta terça-feira que, apesar da insegurança generalizada das posturas protecionistas do presidente norte-americano Donald Trump, as políticas que defendem o G7 e o G20 evitarão que estas tendências alastrem a nível mundial. “Há uma preocupação de que as políticas protecionistas da administração Trump possam reduzir o volume de comércio internacional”, afirmou Haruhiko Kuroda em conferência de imprensa.

“Contudo, não creio que esse protecionismo seja contagioso a larga escala, graças às políticas (defensoras do livre comércio internacional) que dominam no G7 e no G20”, acrescentou. Em termos financeiros, Kuroda sustentou que, “embora a política do novo Governo [de Trump] não seja ainda clara”, são patentes os bons fundamentos sobre o que sustenta a economia norte-americana, assim como a recente subida dos rendimentos das obrigações do tesouro ou a alta que se vive em Wall Street.

Ainda assim, o governador do Banco do Japão assegurou que a entidade que dirige se manterá “vigilante” dada a “grande influência da política financeira dos Estados Unidos nos mercados globais”.

o ser questionado sobre a recente proibição aprovada pela Casa Branca de conceder vistos de entrada aos cidadãos de sete países muçulmanos, Kuroda recusou pronunciar-se, dizendo apenas que tal assunto “não é da competência do Banco do Japão”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Presidente Trump

As duplas faces de Trump

Salvador Furtado
124

Trump faz da política um jogo. Enfraquece os outros à procura de se fortalecer a si. A visita ao Reino Unido foi como uma corrida de cavalos e Trump fez uma aposta – num senhor com o cabelo como o seu

União Europeia

Mercados abertos num mundo em convulsão

Cecilia Malmström

Se alguma coisa aprendemos com a última década é que o comércio livre já não é um dado adquirido, pelo que temos de desenvolver mais esforços para manter os mercados abertos para as nossas empresas.

Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)