O Partido Ecologista “Os Verdes” vai apresentar dois projetos-lei na Assembleia da República a exigir a proibição da importação de energia nuclear e a realização de planos de emergência e de prevenção para eventuais acidentes nucleares.

Na fatura da eletricidade, nas componentes de fornecimento de eletricidade, consta lá a energia nuclear. Ora, aquilo que ‘Os Verdes’ querem propor na Assembleia da República é que seja impedida a venda de eletricidade proveniente de fontes nucleares”, disse esta terça-feira a deputada Heloísa Apolónia.

A líder parlamentar ecologista, que falava em Portalegre no decorrer de uma conferência de imprensa em que fez o balanço das jornadas parlamentares do partido, que decorreram na segunda-feira e esta terça-feira em Castelo Branco e Portalegre, voltou a defender o encerramento da central nuclear de Almaraz, em Espanha.

Enquanto a central nuclear espanhola, situada a 100 quilómetros da fronteira portuguesa não encerra, como o partido ecologista “Os Verdes” (PEV) tem defendido, os ecologistas anunciam ainda que vão apresentar um projeto-lei na Assembleia da República para a criação de “ensaios de campo” com as populações e instituições para testar a coordenação e eficácia de planos de prevenção em caso de acidente nuclear.

Mas, se ‘Os Verdes’ defendem o encerramento da central nuclear de Almaraz e ela for encerrada no ano de 2020, valerá a pena estar a fazer estes ensaios, vale com certeza, porque até lá a central continua a constituir um perigo forte.

Heloísa Apolónia mostrou-se também preocupada com as populações dos distritos de Portalegre e Castelo Branco, uma vez que vivem “desinformadas” sobre o que devem fazer na eventualidade de um acidente na central nuclear de Almaraz.

As pessoas estão algo alarmadas, preocupadas, pelo facto de não terem esse conhecimento. Ao mesmo tempo que lutamos pelo encerramento da central nuclear de Almaraz e pela não construção de um depósito de resíduos nucleares, nós temos que prestar informação à população”, disse.

Nesse sentido, o PEV vai apresentar na Assembleia da República um projeto de resolução que recomenda que seja prestada informação junto das populações sobre os perigos que representa estar próximo de uma central nuclear e os cuidados a ter caso ocorra um acidente.