A Proteção Civil registou entre as 20h de quarta-feira e as 21h desta quinta-feira 210 ocorrências, sendo a mais significativa em Ílhavo, Aveiro, onde quatro pessoas foram arrastadas por uma onda e uma permanece desaparecida.

Até às 21h, foram registadas “cerca de 210 ocorrências com destaque para uma ocorrência mais significativa no concelho de Ílhavo, no distrito de Aveiro, quando quatro pessoas que se deslocavam junto à costa foram atingidas por uma onda”, disse à Lusa o adjunto Marco Martins, adjunto-nacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

Segundo o adjunto da Proteção Civil Marco Martins, três pessoas foram resgatadas em estado de hipotermia e assistidas pelos bombeiros e o INEM presentes no local e uma quarta pessoa permanece desaparecida. “Estão a fazer buscas para a tentar encontrar”, disse, às 21h.

Nas declarações à Lusa, o adjunto Marco Martins voltou a reforçar o alerta à população para que cumpram na “íntegra as recomendações da Proteção Civil, das forças de segurança e da Polícia Marítima”.

Nós, ao longo do dia, temos dado nota que as pessoas tinham estado a cumprir integralmente as medidas de autoproteção, não se registando qualquer vítima durante um período de 24 horas, e de um momento para o outro quatro pessoas que não cumpriram com as medidas de autoproteção, expuseram ao risco e acabaram por ser atingidas por um onda”, lamentou.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil ativou o estado de alerta especial de nível azul. Todos os distritos do litoral estão esta quinta-feira com avisos amarelos, laranja ou vermelhos devido ao vento, à agitação marítima ou à chuva. O mau tempo atingiu primeiro as ilhas dos Açores, já na quarta-feira, mas não foram registadas ocorrências significativas pela Proteção Civil.

O estado de alerta especial de nível azul refere-se à necessidade de os agentes de proteção civil reforçarem os meios de primeira intervenção, destinando-se apenas a estes agentes e não à população em geral, de forma a melhorar a eficiência do sistema.