Rádio Observador

Brasil

Supremo Tribunal do Brasil escolhe novo relator dos casos de corrupção na Petrobras

O Supremo Tribunal do Brasil escolheu o juiz Edson Fachin para ser o novo relator dos processos de corrupção na Petrobras e em outros órgãos públicos, investigados pela operação Lava Jato.

ADRIANO MACHADO/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O Supremo Tribunal Federal do Brasil (STF) escolheu esta quinta-feira, por sorteio, o juiz Edson Fachin para ser o novo relator dos processos de corrupção na Petrobras e em outros órgãos públicos, investigados pela operação Lava Jato.

Edson Fachin substitui o juiz Teori Zavascki, que morreu no último dia 19 após a queda de um avião no mar de Paraty, cidade localizada no litoral do estado do Rio de Janeiro. Participaram no sorteio apenas os juízes que integram a Segunda Turma do STF, composta por Celso de Mello, Dias Toffolli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski.

Edson Fachin não estaria na relação original de juízes da Segunda Turma, mas pediu transferência na última quarta-feira e passou integrar o grupo.

Ao tornar-se relator dos processos da Lava Jato, será responsável por autorizar inquéritos e diligências para recolher provas nos casos da operação que envolvam pessoas com foro privilegiado (deputados e ministros de Estado), que por lei só podem ser investigados pelo STF.

O juiz assume o posto de relator num momento crucial da Lava Jato, em andamento há mais de dois anos e que investiga um esquema de corrupção em várias empresas brasileiras, nomeadamente na petrolífera Petrobras.

Recentemente, os investidores da operação finalizaram um acordo com a construtora Odebrecht para recolher depoimentos, provas e denúncias de 77 executivos da empresa, que terão pagado subornos a centenas de políticos brasileiros de diversos partidos nos últimos anos.

O sorteio de Edson Fachin, considerado um juiz técnico sem atuação política, também colocou um ponto final numa polémica que envolveu a possibilidade de o juiz Gilmar Mendes herdar os processos da Lava Jato.

Gilmar Mendes é considerado um juiz polémico no Brasil porque já fez publicamente duras críticas ao Partido dos Trabalhadores (PT), muito envolvido nos esquemas de corrupção descobertos no país, e por ter também grande proximidade com figuras políticas de outros partidos que foram citadas nas investigações da Lava Jato.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Brasil

Em nome do Brasil, peço desculpas /premium

Ruth Manus
574

Não, eu não elegi este governo. Mas o meu país o fez. Parte por acreditar na política do ódio, parte por ignorância, parte por ser vítima das tantas fake news produzidas ao longo do processo eleitoral

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)