O Governo do Brasil autorizou esta segunda-feira o envio de centenas de efetivos das Forças Armadas para patrulhar as ruas e reforçar a segurança em Vitória, capital do Estado do Espírito Santo, onde começou uma greve da polícia.

O envio dos militares vem na sequência de um pedido do governador César Roberto Colnago à Presidência da República, que autorizou a utilização das forças armadas.

Desde sábado, familiares de polícias do Espírito Santo participam em ações de protesto, impedindo as viaturas de saírem dos quartéis.

Os grevistas reivindicam aumentos salariais. Segundo informações da imprensa local, a falta de policiamento já motivou alguns registos de violência.

O canal de televisão GloboNews informou que um autocarro e uma base móvel da polícia militar foram incendiados. Também há relatos de assaltos.

Esta segunda-feira de manhã, a Prefeitura (câmara municipal) de Vitória suspendeu o regresso às aulas nas escolas públicas e, além isso, unidades de saúde e órgãos da Justiça da cidade estão fechados.

O ministro da Defesa do Brasil, Raul Jungmann, já anunciou que viajará ainda esta segunda-feira para Vitória.

Em comunicado de imprensa, a assessoria de comunicação do Ministério da Defesa destacou também que os militares devem começar a chegar ao Espírito Santo até ao início da noite desta segunda-feira para garantir o patrulhamento das ruas, em conjunto com os órgãos de segurança locais de Vitória.

Uma “onda” de solidariedade invadiu a internet com os brasileiros a partilhar imagens fortes dos incidentes, com a hashtag #PrayforEspiritoSanto:

https://twitter.com/Dragonbr_5h/status/828470257379577856

https://twitter.com/heylora_/status/828683165631918080