As ações do BCP acentuam as perdas e seguem a afundar perto de 9%, para 0,16 euros, dois dias antes da dispersão em bolsa das novas ações.

Pelas 13h25 em Lisboa, as ações do banco liderado por Nuno Amado seguiam a perder 8,48% para 0,16 euros, depois de terem iniciado a sessão a perder 5,77% para 0,17 euros, chegando a cair um máximo de 12,11% para 0,15 euros durante a manhã, e após dois dias de ganhos.

Pela mesma hora, o principal índice da bolsa de Lisboa, o PSI20, seguia a perder 0,83% para 4.559,06 pontos, com oito dos 18 títulos em queda e os restantes a registarem ganhos.

O BCP concluiu na semana passada um aumento de capital de 1,33 mil milhões de euros, que foi totalmente subscrito.

A chinesa Fosun aproveitou o aumento de capital do BCP para reforçar a sua posição para cerca de 24%, mantendo-se como maior acionista do banco liderado por Nuno Amado, enquanto a Sonangol e a EDP acompanharam a operação e mantêm as suas participações, de cerca de 15% e 2%, respetivamente.

Na segunda-feira foi conhecido que a gestora de fundos norte-americana BlackRock passou a deter, a 2 de fevereiro, uma participação de 3,01% do capital social do banco.