O Parlamento britânico aprovou o plano do governo de Theresa May para negociar a saída do Reino Unido da União Europeia sem fazer qualquer alteração, com a primeira-ministra a conseguir deitar por terra a pretensão dos deputados, alguns do seu partido, de terem poder de emendar o acordo antes de as negociações fecharem.

A Câmara dos Comuns aprovou esta terça o plano do governo britânico para negociar com a União Europeia a saída e o futuro das relações entre o que em breve serão dois blocos.

A aprovação do plano, com 326 votos a favor e 293 contra, não aconteceu sem alguma contestação por parte de alguns deputados britânicos que queriam que o Parlamento tivesse mais poder durante as negociações.

Neste grupo, explica o jornal britânico The Guardian, estão os trabalhistas, o Parlamento escocês – que aprovou esta tarde uma resolução não vinculativa contra o Brexit – e alguns deputados conservadores, que qualificaram a decisão de não dar mais poder ao Parlamento de “aldrabice”.

À luz do plano aprovado esta tarde, o Parlamento britânico só vai ter direito a votar uma vez, e apenas para decidir se aceita ou se rejeita o acordo alcançado entre o governo britânico e a União Europeia. Caso decida rejeitar o eventual acordo entre as partes, o Reino Unido ficará sujeito, por exemplo, às tarifas base estipuladas pela Organização Mundial de Comércio (OMC).