O Presidente da Argentina, Mauricio Macri, telefonou esta segunda-feira ao seu homólogo mexicano, Enrique Peña Nieto, para lhe declarar o seu apoio e solidariedade perante as mais recentes trocas de argumentos entre o Presidente do México e Donald Trump.

O contacto entre os dois líderes latino-americanos foi anunciado pela Secretaria de Relações Externas do México (correspondente ao Ministério dos Negócios Estrangeiros português) em comunicado. “Mauricio Macri ligou ao Presidente Enrique Peña Nieto para destacar a proximidade e amizade entre os dois países e para expressar a solidariedade do povo e do Governo argentinos perante a nova posição adotada pelo Governo dos Estados Unidos da América”, lê-se naquele documento.

O gesto terá sido agradecido por Enrique Peña Nieto, que também terá “[reafirmado] a vontade do seu Governo de resolver as diferenças com a nova administração dos Estados Unidos da América pela via do diálogo construtivo e respeitoso entre duas nações soberanas”. Recentemente, Enrique Peña Nieto e Donald Trump cancelaram uma reunião a dois, depois de o Presidente norte-americano ter insistido na construção de um muro entre o México e os EUA. Segundo Donald Trump, este muro será pago pelo Estado mexicano.

Mauricio Macri encontra-se esta terça-feira com o Presidente do Brasil, Michel Temer. Segundo o diário argentino La Nación, seta reunião servirá para avaliar o “contexto de oportunidades que se criam para o Brasil e para a Argentina” perante um eventual fecho das fronteiras norte-americanas com o México.

“O Brasil e a Argentina vão comer-vos o grande mercado que vocês têm hoje no México”

A 31 de janeiro, o ministro da Economia mexicano, Ildefonso Guajardo, anunciou que no seu primeiro contacto com altos funcionários do Governo norte-americano lhes disse que o México tem alternativas e que isso pode prejudicar os EUA, nomeadamente na agricultura. Do lado dos EUA, estiveram presentes Peter Navarro, chefe do Conselho de Comércio Nacional; Stephen Bannon, diretor de estratégia da Casa Branca; e Jared Kushner, conselheiro sénior de Donald Trump, além de seu genro.

“Deixo-vos um aviso: a abertura [do mercado] dos cereais e produtos agrícolas e agropecuários do Brasil e da Argentina vai comer-vos o grande mercado que vocês têm hoje no México”, disse, relembrando a conversa que terá tido com aqueles três dirigentes do executivo de Donald Trump. “Então, não vos vou dizer nada para além de que o que está a ser feito está a levar-nos a nos juntarmos ao resto do mundo para voltarmos a equilibrar-nos”, terá acrescentado.

Na conversa desta segunda-feira entre Mauricio Macri e Enrique Peña Nieto, os dois líderes também terão confirmado “o interesse de continuar a negociar um acordo bilateral” de comércio que terá como fim “aprofundar os seus vínculos e ampliar o comércio livre”. O Presidente do México terá dado instruções à Secretaria de Economia (correspondente ao Ministério da Economia) para dar “alta prioridade às negociações comerciais” com a Argentina.