O futuro Centro Português de Surrealismo vai nascer em Vila Nova de Famalicão no próximo ano, indicou esta quarta-feira a Fundação Cupertino de Miranda e a câmara local, estimando um investimento de 2,5 milhões de euros em cinco anos.

Este projeto nasce numa fundação que tem atualmente mais de três mil obras ligadas ao surrealismo, nomeadamente de Mário Cesariny e Artur Cruzeiro Seixas, num total de 130 artistas.

O objetivo dos promotores do Centro Português de Surrealismo é colocar Famalicão na rede internacional de surrealismo através do estabelecimento de parcerias com países como Espanha, Brasil, Holanda, França, EUA, Suécia, entre outros.

“Acreditamos que haverá impacto a médio e longo prazo nas visitas com muitos benefícios para o concelho e para o pais”, indicou o presidente da Fundação Cupertino de Miranda, Pedro Álvares Ribeiro, enquanto o presidente da câmara descreveu-o como um “projeto âncora”.