O Ministério Público do Brasil acusou quarta-feira o pedreiro Dinai Alves Gomes, de 35 anos, por suspeita da morte e ocultação dos cadáveres de três brasileiras que viviam na localidade portuguesa de Tires, no distrito de Cascais. Em comunicado, o Ministério Público afirmou que, “de acordo com a acusação, o suspeito matou as brasileiras Lidiana Neves Santana e Thayane Milla Mendes Dias para assegurar a execução de outro crime, o homicídio da também brasileira Michele Santana Ferreira, alegada amante de Dinai, que viria a ocorrer horas mais tarde”.

“O objetivo era evitar que a mulher do pedreiro no Brasil descobrisse o relacionamento extraconjugal”, adianta o documento.

Dinai Alves Gomes morava em Portugal desde 2004, trabalhando como encarregado geral do Canil e Gatil Quinta Monte dos Vendavais, situado em Tires. Embora tivesse uma mulher e uma filha no Brasil, o pedreiro começou um relacionamento com Michele Santana Ferreira, que emigrara para Portugal em 2008.

Depois de cometer os assassinatos, Dinai terá ocultado os três cadáveres. O acusado também teria cometido alguns roubos investigados em Portugal.

O pedreiro está preso na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, cidade do interior do Estado de Minas Gerais, desde o dia 5 de setembro do ano passado.

No Brasil, o assassinato tem pena prevista de 12 a 30 anos. A ocultação de cadáver tem pena de um a três anos e o roubo, pena de quatro a 10 anos.

A acusação contra Dinai Alves Gomes foi recebida pelo juízo da 11ª Vara da Justiça Federal em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais.