Pelo menos 17 pessoas morreram hoje na cidade angolana do Uíge, norte do país, alegadamente ao forçarem a entrada no estádio municipal 04 de Janeiro, para assistirem à partida inaugural do Girabola de 2017. A informação foi prestada à Lusa por fonte da equipa da casa, o Santa Rita de Cássia, que se estreia esta época no principal campeonato angolano de futebol, tendo defrontado esta tarde o Recreativo do Libolo, no primeiro jogo da jornada inaugural, partida que os forasteiros venceram por 1-0.

A mesma fonte indicou que o incidente, que terá provocado ainda mais de 60 feridos, terá levado à morte, por asfixia, de vários adeptos, incluindo crianças. A informação é confirmada igualmente pela imprensa local, que além dos 17 mortos refere que cinco dos feridos estão em estado grave, no hospital provincial do Uíge.

De acordo com Tekassala Toco, secretária executivo empresarial da CASA-CE Uíge, a confusão começou porque os bilhetes começaram a ser vendidos já muito perto da hora do jogo: quando a partida começou, a maior parte dos adeptos ainda estavam na rua à espera de comprar a passagem, levando à impaciência do público. A publicação feita por Toco no Facebook indica que a polícia lançou gás lacrimogénio porque a agitação continuou ao longo da segunda parte do jogo, mesmo depois de as autoridades terem aberto os portões ao intervalo para permitir a entrada de mais gente. As pessoas em fuga encostaram-se a um dos portões, que caiu e provocou a morte de alguns dos adeptos, a maior parte adolescentes.

Outros relatos locais falam de um incidente logo aos sete minutos de jogo, quando centenas de pessoas invadiram um dos portões do mesmo estádio, originando quedas e fazendo com que dezenas de pessoas pisadas entre a confusão. A partida entre o Santa Rita de Cássia e o Recreativo do Libolo envolveu a estreia de dois treinadores portugueses, respetivamente Sérgio Traguil e Vaz Pinto. Mais de 7 mil pessoas terão assistido ao jogo.