Num tempo em que a internet começa a ter acesso a quase tudo nas nossas vidas, muitas pessoas já pensaram em desaparecer do mundo digital, ou pelo menos em reduzir a quantidade de informação que armazenaram online ao longo dos anos. Prontamente, alguém irá dizer que “uma vez na Internet, para sempre na Internet” e, de facto, não é uma frase completamente errada.

Mesmo sem quererem desaparecer, as pessoas começam a optar por proteger qualquer comunicação que realizem. A aplicação Signal — que encripta qualquer chamada ou mensagem — teve um aumento de 400% nas descargas depois das eleições americanas. Esta é uma aplicação recomendada por Edward Snowden.

Mas se realmente quer desaparecer da internet, algo praticamente impossível, existem algumas medidas que pode tomar para reduzir a presença ao ponto de quase alcançar o objetivo.

O grande álbum da sua vida

As redes sociais vieram para ficar. O problema destes serviços é que querem saber mais do que realmente necessitam sobre os utilizadores e, de facto, conseguem essa informação sem ter de pedir qualquer autorização concreta. O utilizador providencia esses mesmos dados de livre e espontânea vontade apenas porque existe essa possibilidade.

Fotografias, datas de nascimento, nomes de familiares, locais de férias, experiências diárias, localizações e podíamos continuar a enumerar dados que são partilhados. Mas alguma vez lhe perguntaram se os queria divulgar? Não. Se o fez foi porque quis.

Atualmente, o Facebook conta com cerca de dois mil milhões de utilizadores que partilham milhares de milhões de dados todos os dias e que ficam na internet, muitas vezes disponíveis para qualquer pessoa se as definições de privacidade não forem as mais indicadas. O primeiro conselho para desaparecer da internet é mesmo exterminar as contas nas redes sociais que tenha criado:

  • Remova todas as autenticações de acesso a outras redes que tenha autorizado através a conta do Facebook, Twitter, LinkedIn, etc;
  • Se possível, remova todo e qualquer conteúdo que tenha publicado nessas redes. Existem alguns sites que podem fazer este trabalho por si, no entanto vai estar a partilhar a informação com mais uma empresa;
  • Apague a conta. Não termine sessão, não deixe alguém de confiança gerir a página caso um dia decida voltar.

Se não quiser perder por completo os seus dados todos da rede, algumas (por exemplo o Facebook e o Twitter) permitem fazer o download dos ficheiros para que possa guardar todas as memórias.

Como apagar a conta das principais redes sociais

  • Facebook – para apagar a conta da maior rede social do mundo deve ir até este link e carregar no botão “Eliminar a minha conta”. É simples, mas demora cerca de 14 dias até o processo estar completo.
  • Twitter – ao abrir a página de definições do Twitter vai encontrar uma ligação que diz “desativar a minha conta”. Ao clicar será levado a uma página de confirmação a informar que, durante 30 dias, a informação permanecerá intacta para o caso de querer voltar atrás com a decisão e, após esse período, a conta será eliminada na íntegra.
  • LinkedIn – Na página das definições de conta da rede encontra a opção de “encerrar a sua conta”. Depois é só confirmar e está terminado o processo.

As redes sociais não são a pior parte

Se as redes sociais reúnem uma exorbitante quantidade de dados sobre cada utilizador, vamos apenas imaginar a quantidade de informação que a Google tem e que consegue aceder sobre cada pessoa. Este é o maior agregador de informação da Internet e, claro, quem quiser desaparecer tem de conseguir retirar toda a informação de lá.

Uma recomendação é começar por pesquisar o próprio nome e ver onde é que a informação está alojada, tratando de a remover primeiramente desses sites. Depois poderá enviar um email para a empresa a solicitar que toda a informação seja apagada do motor de pesquisa. A Google costuma atender sempre aos pedidos mas claro que vai demorar até que esteja tudo tratado.

Uma outra preocupação a ter é se for utilizador do email da Google, o gmail. Este é um serviço que deve ser evitado: se quer ser digitalmente invisível, não deve criar qualquer conta de gmail nem enviar mails para utilizadores daquele serviço. No caso de utilizar um serviço de email encriptado, não deve responder a emails que sejam de destinatários que também utilizem uma conta que não pertença a um serviço encriptado. Porquê? Simples. Se realmente quer apagar o seu rasto da Internet e não deixar a mínima pista de por onde anda, o endereço IP do seu computador deve ser, também, escondido. Se quiser chegar ao extremo de não querer que a sua atividade seja, de todo, detetada, então deve utilizar uma rede virtual privada (VPN) sempre que quiser aceder à internet.

Para pesquisas poderá utilizar DuckDuckGo, em vez do Google, uma vez que este serviço não irá recolher informações sobre o utilizador. A nível de email encriptado, pode optar pelo ProtonMail.

Para remover os dados e as contas de grande parte dos sites, o JustDelete.Me providencia uma grande lista de links diretos para as páginas de remoção da conta de vários serviços. Inclui ainda informação relevante para o processo ou meios alternativos caso seja impossível apagar a conta.

Forneça informações falsas

Se não quer estar presente na internet, uma das melhores maneiras de o fazer é, de facto, não existir no mundo online. Confuso? Nem por isso. O segredo é utilizar os serviços que necessita com informações erradas sobre si.

Depois de tanto trabalho a apagar contas, remover ligações, enviar emails a pedir para encerrarem a conta, etc, seria pouco lógico voltar a divulgar dados pessoais na rede. Para isso, todos os serviços que decidir utilizar, devem conter informações que não são verdadeiras, nem que seja a data de nascimento. Desta forma é como se fosse uma pessoa diferente e será mais difícil juntar todos os dados num só local e associados a uma só pessoa.

Existem serviços que precisam de um email de determinado serviço, exemplo disso são os dispositivos Android e Apple, que precisam de contas Google e Apple, respetivamente, para poderem ser utilizados na sua plenitude. Para isso, deve criar uma conta só para esses serviços e com um nome que não o seu.

Claro que alguns dos serviços já têm essa informação armazenada, e você pode ter optado por não apagar por completo uma ou outra conta. Nesses casos, deve alterar a informação já fornecida. O Facebook, por exemplo, permite alterar a data de nascimento, mas impõe um limite de vezes para o poder fazer. este processo vai contra todos os termos e condições dos serviços que nunca ninguém lê? Sim, vai, mas é pouco provável que algo aconteça por causa dessa violação.

Desapareci?

Depois de todos estes processos estarem terminados será difícil encontrar alguma informação sobre o utilizador. Mas claro que não será impossível.

Uma vez na internet, para sempre na internet” é uma verdade difícil de mudar. Por muito que tentemos, haverá sempre um ou outro dado que irá permanecer nalgum ponto escondido e que, mais tarde, poderá na mesma aparecer. No entanto, será muito mais difícil conseguir associar um dado a uma pessoa que quase não existe no mundo virtual.