O Dia dos Namorados está à porta mas nem todos os países o aceitam de bom grado. O Paquistão proíbe, este ano, os paquistaneses de festejar o Dia dos Namorados em público, considerando que vai contra o islamismo.

O tribunal de Islamabad, a capital do Paquistão, proibiu esta segunda feira a celebração do Dia dos Namorados depois do paquistanês Abdul Waheed colocar uma ação judicial contra o Estado argumentando que tais celebrações “vão contra os ensinamentos islâmicos e devem ser proibidas de imediato”.

Sob o pretexto de difundir o amor, de facto, a imoralidade, nudez e indecência são incentivadas, o que é contra as nossas ricas tradições e valores” declarou o paquistanês avança a ABC.

Foi ainda pedido que à Autoridade de Regulação dos Meios de Comunicação Eletrónicos do Paquistão e ao Ministério da Informação que não se promova nem se difunda nada relativo aos festejos do Dia dos Namorados nos meios de comunicação paquistaneses.

A data desde sempre foi controversa e levantou polémica no Paquistão, mas nunca antes se tinha proibido as festividades. Naquele país conservador apenas uma pequena minoria vê “com bons olhos” o Dia dos Namorados, chegando a existir até protestos contra a celebração.

O ano passado, o presidente paquistanês Mamnoon Hussain chegou a apelar para que não se celebrasse o Dia dos Namorados, defendendo que o dia não tem nenhuma conexão com a cultura do Paquistão pelo que devia ser evitado.