Nos primeiros dez minutos do outro encontro da noite na Champions, o PSG encostava o Barcelona, que mal passou do meio-campo. Draxler e Cavani podiam ter marcado cedo. Ainda assim, mantinha-se 0-0. Não foi de bola corrida à primeira, à segunda nem à terceira. E que tal de bola parada? Foi limpinho: livre directo (19′) de Di María sem hipóteses para Ter Stegen.

Nem Messi, nem Neymar, nem Suárez. O Barcelona era quase nulo em Paris e o único príncipe catalão no Parque chamava-se Ter Stegen. Sergi Roberto na direita da defesa, esse, nem se fala. Depois da lesão de Aleix Vidal, o Sport já fez a lista dos possíveis reforços em Espanha: Mario Gaspar (Villarreal), Rukavina (Villarreal), Ander Capa (Eibar), João Cancelo (Valencia), Jonny Castro (Celta de Vigo), Hugo Mallo (Celta de Vigo), Roberto Rosales (Málaga) e Míchel Macedo (Las Palmas).

Aos 40′, 2-0 para o PSG. Desta vez foi Draxler e de bola corrida: assistência de Verratti para o reforço de Inverno dos parisienses e o alemão a não dar hipóteses ao compatriota. 2-0 para o PSG e a coisa prometia não ficar por aqui. O cabaz só não está maior porque Ter Stegen estava inspirado

55′. Di María bisa. E vão três para o PSG. O argentino está mesmo naquelas noites onde parece responder às dezenas de trabalhos feitos à volta de Cavani, Suárez, Messi e Neymar: 3-0 com um remate em jeito ao ângulo. 3-0 para o PSG frente ao Barcelona, sem espinhas.

Cavani, faltava este: jogada de Meunier (71′) pelo centro, diagonal do avançado uruguaio e o escândalo ganhava cada vez maiores proporções em Paris. 4-0 para o PSG. E ainda faltavam uns 20 minutos.

O Barcelona rematou aos 83’… mas a bola foi ao poste. Na sequência de uma bola parada, Piqué cabeceou ao segundo poste para Umtiti encostar bem perto do poste. Teve tanta pontaria que acertou mesmo no ferro. E continuava o 4-0 para o PSG.

Contas feitas, um bailarico de bola como nunca se tinha visto nesta versão MSN de Barcelona. O aniversariante Di María foi o principal destaque com um bis (e saiu quase a meia hora do fim), Draxler e Cavani não ficaram atrás. Melhor jogador do Barça: ter Stegen. Será possível conseguir o impossível na segunda mão? O MSN tem a resposta. Ou não.