Património Cultural

Arte Xávega da Costa de Caparica entra no Inventário Nacional do Património Cultural

553

A Arte Xávega, tipo de pesca tradicional da Costa da Caparica que consiste na utilização de uma rede de cerco que é lançada ao mar, foi inscrita no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial

As técnicas deste tipo de pesca são transmitidas entre gerações dos dois núcleos piscatórios da comunidade da Costa da Caparica

A Arte Xávega, um tipo de pesca tradicional na Costa de Caparica, em Almada, foi inscrita no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, de acordo com a publicação desta quinta-feira em Diário da República. “A Diretora-Geral do Património Cultural decidiu favoravelmente sobre o pedido de inscrição da Arte Xávega (Costa da Caparica, Almada) no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, apresentado pelo Município de Almada”, refere o Diário da República.

A Arte Xávega trata-se de uma técnica de pesca tradicional que consiste na utilização de uma rede de cerco envolvente que é lançada no mar e depois puxada para terra.

Outro dos motivos para a decisão publicada esta quinta-feira foi “a importância de que se reveste esta manifestação do património cultural imaterial pela sua profundidade histórica e evidente relação com práticas homólogas de outras comunidades piscatórias em Portugal, designadamente no litoral Centro e Norte”.

Segundo a publicação, as técnicas deste tipo de pesca são transmitidas entre gerações dos dois núcleos piscatórios da comunidade da Costa da Caparica, tendo sido efetuadas diligências pela autarquia de Almada com o objetivo da sua inventariação. “A inventariação da manifestação do património imaterial em apreço é objeto de revisão ordinária em períodos de 10 anos, sem prejuízo de revisão em período inferior sempre que sejam conhecidas alterações relevantes, sendo que qualquer interessado pode suscitar, a todo o tempo, a revisão extraordinária do registo de inventariação”, concluiu.

O processo iniciou-se em 2015 com o pedido de inscrição da Câmara Municipal de Almada à Direção-Geral do Património Cultural, que abriu a consulta pública entre 3 de agosto e 11 de setembro desse ano.

De acordo com uma deliberação da Assembleia Municipal de Almada, datada de 25 de setembro de 2015, a inscrição da Arte Xávega local no Património Cultural Imaterial do país potenciaria “a promoção cultural, a salvaguarda do património, a defesa de uma atividade económica de significativa expressão, e a divulgação e promoção turística desta região, fatores que são fortemente suscetíveis de representar um impacto económico muito positivo em todo o tecido económico e social da Costa da Caparica e de Almada”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)