Pelo menos 70 pessoas morreram, esta quinta-feira, num atentado bombista contra um templo de corrente sufista no sul do Paquistão, de acordo com um novo balanço que duplica o número de vítimas mortais.

Até ao momento morreram 70 pessoas e mais de 150 ficaram feridas”, afirmou o inspetor-geral da polícia da província de Sindh, A.D. Khawaja.

O mesmo responsável policial acrescentou que “muitas pessoas feridas estão em estado crítico”, pelo que serão transferidas para Carachi “logo que helicópteros da Marinha e um avião C-130 cheguem ao aeroporto mais próximo”.

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou a autoria do atentado suicida, através da sua agência de notícias Aamaq.

O oficial da polícia local Rashad Hayat declarou que o bombista suicida fez-se explodir quando centenas de fiéis estavam a realizar um ritual semanal, o Dhamal, no templo da corrente sufista de Lal Shahbaz Qalandar, na cidade de Sehwan, na província de Sindh, no sul do país.