Energia Solar

Investigadores criam novo tipo de células solares no Canadá

Investigadores do Canadá desenvolveram um novo tipo de células solares, que podem ser fabricadas a temperaturas mais baixas, aumentando o número de possíveis aplicações com menos custos.

Investigadores da Universidade de Toronto, no Canadá, desenvolveram um novo tipo de células solares, mais eficientes que as existentes e que podem ser fabricadas a temperaturas mais baixas, aumentando o número de possíveis aplicações com menos custos.

As novas células são fabricadas com perovskita, um mineral que apresenta como propriedades a supercondutividade, sendo considerado o futuro da tecnologia fotovoltaica (que converte a radiação solar em eletricidade).

Uma célula solar de perovskita, que inclui um composto estruturado do mineral, é capaz de absorver a luz em quase todos os comprimentos de onda visíveis, pelo que é promissora para captar, com maior eficiência e menores custos, a energia solar para produção de eletricidade.

Os entraves ao desenvolvimento da tecnologia fotovoltaica têm sido os seus elevados custos, a toxicidade de alguns dos componentes e a sua rápida deterioração na presença de humidade.

Cientistas e empresas estão a tentar melhorar a eficiência e estabilidade destes dispositivos, prolongando a sua durabilidade e substituindo materiais tóxicos, como o chumbo, por outros mais seguros, além de combinar a tecnologia com outras que têm por base materiais como o silício.

“Potencialmente, células solares de perovskita e de silício podem agregar-se para melhorar ainda mais a eficiência [energética], mas só com avanços nos processos de baixa temperatura”, sustentou um dos investigadores da Universidade de Toronto, Hairen Tan, citado num comunicado da instituição.

Atualmente, todos os painéis solares fotovoltaicos comercializáveis são feitos de ‘lascas’ de cristais de silício, que têm de ser processados com uma extrema pureza, o que requer temperaturas superiores a 1.000ºC e grandes quantidades de solventes perigosos.

Em contrapartida, as células solares de perovskita dependem de uma camada de cristais minúsculos – cada cristal é cerca de mil vezes mais fino do que um fio de cabelo. Trata-se de materiais de baixo custo e sensíveis à luz.

Uma vez que a perovskita pode ser misturada num líquido criando uma espécie de ‘tinta solar’, significa que pode ser impressa em vidro, plástico e noutros materiais através de um processo de impressão a jato, defendem os cientistas.

Para gerarem eletricidade, os eletrões que são estimulados pela energia solar têm de ser extraídos de cristais, de forma a que possam fluir através de um circuito. A extração é feita numa camada especial chamada camada seletiva de eletrão (ESL, na sigla em inglês).

Um dos grandes desafios no desenvolvimento de células solares de perovskita é o fabrico de um bom ESL.

Hairen Tan e a sua equipa conceberam uma nova reação química que permitiu produzir um ESL de nanopartículas numa solução, diretamente no topo do elétrodo.

Apesar de o calor ser necessário, o processo mantém-se abaixo dos 150ºC, uma temperatura mais baixa do que o ponto de derretimento de muitos plásticos.

As novas nanopartículas são revestidas por uma camada de átomos de cloro, que as ajuda a ligar-se à camada de perovskita no topo da célula, permitindo uma extração eficiente de eletrões.

Na experiência, cujos resultados foram publicados na revista Science, o grupo de investigadores conseguiu manter mais de 90 por cento da eficiência das células solares de perovskita após 500 horas de utilização.

O método testado pela Universidade de Toronto abre, de acordo com os cientistas, a perspetiva para uma série de usos para as células solares de perovskita, como telemóveis e janelas de edifícios.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Finanças Públicas

O esbulho fiscal

Luís Aguiar-Conraria

Se é verdade que a nossa carga fiscal está ligeiramente abaixo da média da União Europeia, também é verdade que o nosso esforço fiscal está muito acima da média. Está, por exemplo, 37% acima do alemão

Impostos

Ode ao Portal das Finanças

José Miguel Pinto dos Santos

Pode ser que o Portal das Finanças tenha reduzido atritos entre cobradores e contribuintes, mas uma carga fiscal excessiva continuará sempre a gerar fuga aos impostos através de uma economia paralela

Bioética

Eutanásia: ouvir os avisos da Holanda

Isabel Galriça Neto

Os factos e a realidade da Holanda estão à vista de quem os quiser ver, não podem ser ignorados, e suportam a inconveniência de fazer uma lei que permita a eutanásia na linha das propostas existentes.

Finanças Públicas

O esbulho fiscal

Luís Aguiar-Conraria

Se é verdade que a nossa carga fiscal está ligeiramente abaixo da média da União Europeia, também é verdade que o nosso esforço fiscal está muito acima da média. Está, por exemplo, 37% acima do alemão

Arrendamento

As casas a quem as trabalha

Maria João Marques

Não se percebe bem se é um grande amor socialista pela homeopatia – vamos lá provocar a escassez de casas para combater a escassez de casas – se é mesmo uma reforma agrária agora em versão urbana. 

Democracia

Não é cool ser contra o 25

Pedro Barros Ferreira

Na música parece ser impossível ser de Direita e gostar de Sérgio Godinho. Pois eu gosto. Parece impossível gostar da “Vida de Bryan” e ser católico. Pois eu sou e esse filme é um dos da minha vida. 

Impostos

Ode ao Portal das Finanças

José Miguel Pinto dos Santos

Pode ser que o Portal das Finanças tenha reduzido atritos entre cobradores e contribuintes, mas uma carga fiscal excessiva continuará sempre a gerar fuga aos impostos através de uma economia paralela

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site