A Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, está abriu este domingo as portas para sete concertos, duas oficinas e a exibição de um documentário, com entrada livre, em mais uma edição da iniciativa “Portas Abertas”.

Nos concertos, de acordo com um comunicado da fundação, o destaque vai para as cinco atuações de músicos classificados como “Rising Stars” pela European Concert Hall Organization (ECHO, na sigla original): o Armida Quartett (11h), os pianistas Christopher Park (13h) e Mariam Batsashvili (17h), o clarinetista Horácio Ferreira (15h) e a violinista Tamsin Waley-Cohen (19h).

“‘Rising Stars’ são jovens músicos de excecional talento que recebem formação no sentido de se tornarem mais aptos na gestão dos seus percursos artísticos. As suas atuações nos diversos palcos associados à ECHO constituem uma oportunidade de consolidar a sua experiência musical no período inicial das suas carreiras”, explicou a Gulbenkian.

Além destes concertos, vai ainda haver espetáculos do Coro Estágio Gulbenkian com a pianista Jill Lawson, sob direção de Paulo Lourenço, e da Academia de Música de Lisboa, com direção musical de Rui Fernandes. Durante o dia, vai ser exibido, “em vários horários”, o documentário op.ção, de Tiago Figueiredo, “que relata o percurso do Estágio Gulbenkian para Orquestra em 2015”.

Para lá destas atividades, a fundação recebe também duas oficinas de exploração musical para famílias, com o formador Nuno Cintrão, sendo a inscrição feita no próprio dia.