O primeiro-ministro reiterou esta segunda-feira que “nada mais há a dizer” em torno da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e de polémicas em torno da antiga administração, voltando a subscrever o “bom entendimento” do Presidente da República sobre a matéria.

Em Cabo Verde, António Costa foi questionado sobre a CGD e uma eventual segunda comissão de inquérito parlamentar sobre o banco, e reiterou o que já havia dito na semana passada. “Nada mais tenho a dizer”, sublinhou, antes de voltar a referir o “bom entendimento” de Marcelo Rebelo de Sousa sobre o tema logo na segunda-feira, quando emitiu uma nota na página Internet da Presidência.

O primeiro-ministro falava no final da quarta cimeira bilateral entre Portugal e Cabo Verde, encontro que ocorreu esta manhã na cidade da Praia, naquele país africano. O encontro “atestou, uma vez mais, a excelência das relações políticas e de cooperação entre os dois países, e a importância desta parceria estratégica, abrangente e diversificada”, acordaram os executivos liderados por António Costa e Ulisses Correia e Silva na declaração conjunta que se seguiu à reunião.