Marine Le Pen, candidata da extrema-direita às presidenciais francesas recusou-se esta terça-feira a usar o véu imposto às mulheres no encontro com o mufti de Beirute. Momentos antes da reunião, elementos do gabinete do grande mufti da capital do Líbano mostrou um véu a Marine Le Pen mas a líder da Frente Nacional disse que não necessitava.

No final, Marine Le Pen acabou por cancelar a reunião com o xeique Abdellatif Deriane, segundo a agência Ani, citada pelo jornal libanês francófono L’Orient Le Jour. De acordo com a mesma publicação, o gabinete do grande mufti emitiu um comunicado onde disse que Marine Le Pen foi “informada (…) por intermédio de um dos seus colaboradores, da necessidade de se tapar a cabeça durante o seu encontro com a sua eminência de acordo com o protocolo de Dar el-Fatwa”.

Marine Le Pen fez saber que não ia cumprir essa regra do protocolo:

“A mais alta autoridade sunita do mundo não me fez essa exigência. Por isso não vejo que tenha qualquer razão para … Mas não é grave, transmita ao grand mufti os meus respeitos mas não me vou tapar.”

A líder da extrema-direita francesa referia-se à visita efetuada em maio de 2015 ao Egito onde se encontrou com Ahmed al-Tayeb, o grande iman de Al-Azhar da cidade do Cairo. “O pedido para o uso do véu foi transmitido na segunda-feira mas ela fez saber que não o ia usar. O convite não foi anulado” tendo Marine Le Pen comparecido no local da reunião, disse à France Presse um elemento da comitiva da Frente Nacional. Marine Le Pen encontra-se de visita ao Líbano desde domingo tendo ainda previstos encontros com o patriarca maronita Bechara Rai e com Samir Geagea, líder do partido Forças Libanesas.