Carlos Ghosn vai demitir-se do cargo de diretor executivo da Nissan mas mantém-se como presidente do conselho de administração, focando-se na aliança com a Renault e a Mitsubishi, anunciou, esta quinta-feira, a empresa. Ghosn, a quem é atribuída a recuperação da Nissan, que estava perto da falência no final dos anos 1990, vai ser substituído por Hiroto Saikawa, que é atualmente codiretor executivo, a 1 de abril. As alterações vão ser formalizadas numa reunião dos acionistas em junho.

“Tendo recentemente assumido novas responsabilidades na Mitsubishi Motors, e tendo em consideração a próxima reunião geral de acionistas da Nissan, decidi que é o momento certo para Hiroto Saikawa me substituir como CEO da Nissan”, disse Ghosn, em comunicado.

Ghosn mantém-se como diretor executivo da Renault e presidente das três empresas aliadas.

Em maio a Nissan anunciou que iria comprar um terço da Mitsubishi por 2,2 mil milhões de dólares.