A Patrulha Fronteiriça dos Estados Unidos informou que foram detidos 31.575 imigrantes indocumentados no limite sul da fronteira com o México em janeiro, quando ocorreu a transferência de poderes de Barack Obama para Donald Trump.

O número figura como o mais elevado dos últimos cinco anos registado no mês de janeiro e traduz um aumento de quase um terço (32%) face ao mesmo período de 2016, quando o número de indocumentados detidos pelas autoridades foi de 23.758.

Das 31.575, 4.421 corresponderam a menores desacompanhados.

Além das detenções efetuadas, a Patrulha Fronteiriça dos Estados Unidos também negou a entrada no país a 10.899 pessoas — incluindo 601 menores desacompanhados — nos postos de entrada da fronteira sul com o México.

Os números confirmam a tendência de aumento registada durante os derradeiros meses do ano passado, os de maior fluxo migratório dos últimos anos.

Em dezembro foram detidos 43.254 indocumentados (mais 17% do que no ano anterior), em novembro 47.211 (mais 44%) e em outubro 46.182 (mais 41%).

Para gerir o crescente fluxo migratório, a Patrulha Fronteiriça destacou 150 agentes adicionais na região do vale do Rio Grande (Texas) e abriu duas esquadras em Donna e Tornillo, ambas no Texas, cada uma com capacidade para acolher meio milhar de pessoas.

Além disso, Donald Trump, que tomou posse como Presidente dos Estados Unidos a 20 de janeiro, prometeu contratar 5.000 novos agentes para a Patrulha Fronteiriça e renovou a promessa da campanha eleitoral de erguer um muro ao longo de toda a fronteira.