Centenas de milhares de casas em localidades próximas da capital do Chile, Santiago, permaneciam sem água na segunda-feira, com as autoridades a tentarem restaurar o fornecimento na sequência das inundações que fizeram pelo menos três mortes.

Segundo o mais recente balanço oficial, 19 pessoas continuam dadas como desaparecidas na sequência das cheias provocadas pelas intensas chuvas que se abateram sobre a região.

Mais de metade das comunidades na área de grande Santiago e aproximadamente cinco milhões de pessoas em todo o país foram afetadas por inundações no fim de semana, com os detritos a entupirem os sistemas urbanos de abastecimento de água.

A companhia Águas Andinas afirmou na segunda-feira que o serviço foi restaurado em cerca de 50% das casas e estabelecimentos comerciais que inicialmente sofreram cortes.

Durante o fim de semana, as autoridades chilenas indicaram que cerca de 1,4 milhões de habitações em e em torno de Santiago estavam desde sábado sem fornecimento de água.