O presidente da Rússia Vladimir Putin admitiu falhas no sistema de controlo antidoping no país, mas voltou a garantir que nunca houve qualquer apoio estatal a esses procedimentos ilícitos. “O sistema de controlo antidoping que tínhamos não funcionou e a culpa é nossa. Temos de o admitir abertamente”, afirmou Putin em Krasnoyarsk, esta quarta-feira, durante uma reunião de preparação das Universíadas de Inverno 2019. No entanto, Vladimir Putin voltou a assegurar que “nunca existiu qualquer apoio estatal a esquemas de doping organizados”.

O presidente russo manifestou-se confiante no comité de instrução criado para investigar os casos de doping que têm afetado todo o desporto do país. Em 7 de dezembro do ano passado, o Comité Olímpico Internacional (COI) decidiu prolongar até “nova avaliação” as medidas provisórias adotadas contra a Rússia, decretadas em julho na sequência da revelação do sistema de dopagem organizado com cunho estatal no desporto nacional.

A decisão foi tomada pelo Comité Executivo do COI pouco antes da publicação da versão final do ‘relatório McLaren’, uma ‘encomenda’ da Agência Mundial Antidopagem (AMA) que revelou que durante os Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi2014 os laboratórios de Moscovo e da própria cidade-sede encobriram o uso de substâncias dopantes por parte dos atletas do país anfitrião e que levou à exclusão de numerosos desportistas russos dos Jogos Olímpicos Rio2016.