Vendidas a 17 dólares cada uma, as ações do Snapchat que se estreiam esta quinta-feira em bolsa têm implícito o dobro do potencial do Facebook para gerar receitas. Esta é a avaliação relativa da empresa dona da rede social muito popular entre os mais jovens e que se baseia no envio de mensagens e imagens com duração curta.

Estão a ser vendidos 200 milhões de ações da SNAP, a empresa dona da rede social, e a liderança do Snapchat optou por um preço ambicioso — 17 dólares por ação — o que terá resultado da procura forte que encontrou, junto dos investidores, nos últimos dias da preparação desta estreia em bolsa.

O preço a que esta porção do capital (200 milhões de ações) vai ser vendido significa que, no total, a empresa será avaliada em mais de 20 mil milhões de dólares. Um valor que corresponde, segundo a Bloomberg, a 21,4 vezes aquilo que a rede social deverá ser capaz de faturar em receitas de publicidade em 2017.

Em contraste, este múltiplo muito usado pelos investidores, no caso do Facebook, é de cerca de 10 vezes — ou seja, a avaliação da empresa equivale a 10 anos de vendas, ao ritmo atual.

O que isto significa é que, provavelmente, os investidores acreditam que a múltiplo irá baixar, tornando-se um pouco mais razoável, pelo lado no denominador: ou seja, o Snapchat vai conseguir gerar cada vez mais receitas e isso levará a que o múltiplo se reduza.

“Há uma quantidade gigante de investidores que querem entrar nesta coisa nova e excitante, já que acreditam que esta é a primeira oportunidade desde tipo em vários anos”, afirmou um analista citado pela Bloomberg, David Kirkpatrick. Mas isso não invalida que a empresa tenha “pela frente muito trabalho para fazer em termos de criar um negócio a sério com capacidade de ter lucros”.