A Malásia cancelou o acordo de isenção de vistos de turistas com Pyongyang, naquele que é o mais recente desenvolvimento na crise diplomática desencadeada pelo assassínio do meio-irmão do líder da Coreia do Norte, noticiou, esta quinta-feira, a agência Bernama.

O cancelamento produz efeitos na próxima segunda-feira, 6 de março, pelo que, a partir dessa data, os norte-coreanos que pretendam viajar para a Malásia vão ter de pedir visto, indicou a agência noticiosa estatal, citando o vice-ministro malaio, Ahmad Zahid Hamidi.

Antes do assassínio, no aeroporto de Kuala Lumpur, em 13 de fevereiro, de Kim Jong-Nam, meio-irmão do líder norte-coreano, a Malásia e a Coreia do Norte mantinham relações relativamente cordiais, com algum comércio bilateral, e os cidadãos de ambos os países desfrutavam de um acordo recíproco de isenção de visto.