François Fillon, o ponta-de-lança dos Republicanos nas presidenciais francesas, está a ficar sem equipa com o passar dos dias e acaba de perder o seu número 10, o porta-voz Thierry Solère. Domingo, quem sabe, pode ser ele próprio a cair. A informação está a ser avançada pelo Politico, citando uma fonte próxima de Fillon. E porquê domingo? “Podemos enfrentar os juízes, mas não podemos lutar muito mais contra o nosso próprio partido”, explicou a referida fonte.

Desde que anunciou na quarta-feira que será formalmente acusado no inquérito sobre o uso indevido de fundos públicos, a candidatura de Fillon tem sido atingida à base diária com demissões atrás de demissões. O espaço de manobra é quase nulo.

Quem estava no banco de suplentes depois de ter sido derrotado nas primárias da direita e já saltou para o aquecimento é Alain Juppé: de acordo com o Politico, o antigo primeiro-ministro francês nunca disse que estaria ainda abalado pela pesada derrota sofrida em novembro. “Já está a aquecer a ideia de avançar”, esclarecem.