A Autoridade da Concorrência (AdC) pediu informação adicional sobre a entrada de NOS, Vodafone e Meo no capital da Sport TV, após o acordo fechado com as operadoras. Na apresentação das contas da NOS de 2016, o CEO Miguel Almeida admitiu que esse pedido foi “há duas ou três semanas”, mas informou não haver novidades em relação ao assunto.

Depois da grande guerra em torno dos direitos televisivos dos jogos de futebol, que começava a ameaçar a transmissão dos encontros em operadoras diferentes, foi alcançado um memorando de entendimento no mês passado entre NOS, Vodafone, Meo e Joaquim Oliveira, ficando cada um com 25% da estrutura acionista. Agora, a AdC quer perceber melhor os contornos do negócio que coloca na mesma empresa, em igualdade de poder, todas as plataformas detentoras dos direitos televisivos desportivos em Portugal.

“A operação em si não é passível nem tem notificação obrigatória à AdC. Mas desde o primeiro minuto que temos mantido a AdC informada sobre todos os desenvolvimentos, que temos proativamente informado desde o primeiro contrato que fizemos, aos acordos que existiram e as alterações conhecidas”, explicou Miguel Almeida.

A entrada das operadoras na Sport TV começou a ser negociada em julho, já com os direitos dos três grandes distribuídos entre elas (Sporting e Benfica na NOS, FC Porto na Meo). Agora todos podem transmitir os seus jogos no canal desportivo por assinatura que ‘repartem’ entre si. E cujos preços aumentaram no final do ano em todas elas.