Há mais fiadores a serem obrigados a pagar os empréstimos bancários em dívida do que há quatro anos. Foram chamadas 8,6% das pessoas que assumiram dívidas de terceiros enquanto em junho de 2011 foram só 7,5%. Segundo o Diário de Notícias, o número de fiadores a serem chamados aumentou, mas as pessoas parecem estar mais cautelosas: o número total de fiadores baixou para 1,3 milhões, o número mais baixo dos últimos quatro anos.

É no crédito ao consumo que se encontra o maior número de fiadores com encargos de terceiros à perna. São 11,9% (em 2011, eram 8,9%). No crédito à habitação, por exemplo, o número baixou de 4,5% para 4,3% nos últimos quatro anos.

Muitos dos fiadores com dificuldades em pagar as dívidas recorrem ao Gabinete de Apoio ao Sobre-Endividado (GAS) da Deco, mas representam apenas 1% do total das queixas recebidas pelo portal do consumidor. “É no crédito automóvel e no crédito à habitação que está o maior universo de fiadores. Mas acredito que há uma maior consciencialização das pessoas para o que é ser fiador”, afirmou Natália Nunes ao DN, coordenadora do GAS, acrescentando que “é relativamente fácil contrair um crédito sem ter fiador”.