Celebridades

Jane Fonda revela que foi violada e vítima de abuso sexual

392

Aos 79 anos, a atriz revelou ter sido violada. Numa entrevista conduzida por outra atriz, Brie Larson, contou ainda ter sido vítima de abuso sexual em criança e de assédio sexual mais tarde.

“Fui violada, fui vítima de abuso sexual em criança e fui despedida por não ter dormido com o meu chefe”. A revelação chocante foi feita por Jane Fonda no decorrer de uma entrevista conduzida pela atriz Brie Larson — que já interpretou uma personagem vítima de abuso sexual no filme “O Quarto” –, publicada na revista The Edit. Aos 79 anos, a atriz e guru do fitness confessou ter sofrido às mãos da “natureza patriarcal” da indústria do entretenimento.

© Captura de ecrã da entrevista na revista The Edit

Filha do lendário ator Henry Fonda e da socialite Frances Ford Seymour, que viria a cometer suicídio quando a filha era ainda uma adolescente, Jane ascendeu à fama nos anos 1960 e, durante muito tempo, foi vista como uma sex symbol. Foi também casada durante 20 anos com o magnata dos media, Ted Turner, até se divorciarem em 2001.

Agora, já no terceiro ato da sua vida, a atriz revela ter sido violada e admite que, à data, pensou que a culpa era sua. “Sempre pensei que a culpa era minha, que tinha feito ou dito algo que não devia.” Fonda, também ela uma reconhecida feminista, disse ainda conhecer raparigas que são violadas sem se aperceberem disso. “Elas pensam ‘deve ter sido porque eu disse não da forma errada'”.

No decorrer da conversa com Brie Larson — que se recusou a bater palmas quando entregou o Óscar de Melhor Ator a Casey Affleck, acusado de abuso sexual em 2010 –, a atriz de 79 anos admitiu ainda que foram precisos 60 anos para finalmente saber como defender-se.

© Captura de ecrã da revista The Edit

Sobre o poder de dizer “não”, Jane Fonda deu a entender que se alguém lhe oferecesse alguma coisa, ela aceitava sem hesitar. “Aceitei papéis que não eram certos para mim e houve quem se aproveitasse de mim. Eu não sabia como defender-me. Se fosse hoje, diria ‘não’. Se ao menos eu soubesse o que sei hoje”.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)