A atleta olímpica Ana Cabecinha sagrou-se este sábado campeã nacional de marcha, ao vencer a prova de 20 km de estrada, realizada em São João da Madeira.

A marchadora, do Clube Oriental de Pechão, fez um tempo de 1:32.14 horas, derrotando Inês Henriques, também atleta olímpica e detentora do recorde mundial de 50km, que precisou de mais 14 segundos para completar a prova, e Mara Ribeiro, que gastou 1:37.33 horas, ambas do Clube de Natação de Rio Maior.

Em declarações à agência Lusa, Ana Cabecinha sublinhou que o objetivo era a vitória, mas que o mais importante era fazer um teste, porque, nos últimos tempos, tem tido algumas lesões.

“Foi o primeiro campeonato em que vim descontraída. Parti com muito cuidado e com medo. A Inês, com a prova de 50km, está mais matura, mas na parte final senti-me muito bem e estou contente pela vitória. Deu o desempate este ano, para o próximo veremos”, referindo-se ao empate com Inês Henriques, em termos de títulos nacionais, ‘quebrado’ hoje com a conquista do quinto troféu por parte de Ana Cabecinha.

Relativamente aos campeonatos mundiais de Londres, que vão ser disputados em agosto, a atleta portuguesa, que foi pré-selecionada pela Federação Portuguesa de Atletismo, não coloca por agora nenhum objetivo em mente, preferindo focar-se na preparação.

“Ainda falta muito tempo [para os campeonatos mundiais de atletismo]. Faltam muitos meses para preparar. Claro que esta pré-seleção dá outra estabilidade para poder treinar, com mentalidade aberta para competir mais tranquila. No Mundial espero estar no meu melhor e espero que as lesões tenham ficado para trás, para poder treinar o melhor possível para que esteja melhor que nos outros anos. Quero fazer primeiro a Taça da Europa e aí quero testar-me a mim e às outras atletas, depois no Mundial logo se vê”, explicou.