Depois de anos de desenvolvimento, testes e afinações, eis que os primeiros Bugatti Chiron abandonam a fábrica em Molsheim, França, rumo aos seus felizardos clientes, distribuídos algures entre a Europa e o Médio Oriente. São três obras de arte, construídas à mão, como se impõe num superdesportivo deste nível e com esta exclusividade.

Com 1.500 cv cada um, e por um preço que, antes de impostos, ascende a 2,4 milhões de euros por unidade, este construtor do Grupo Volkswagen iniciou a entrega dos desejados Chiron, modelo que substitui o Veyron e que se assume como a mais valiosa pérola da indústria automóvel. Isto porque nenhuma outra é tão sofisticada, tão luxuosa e tão bem construída. O que não significa que não existam outros veículos com o mesmo nível de potência.

Porque esta foi uma ocasião única, para a marca gaulesa e para a indústria automóvel em geral, pois nunca tanto dinheiro esteve concentrado em apenas três veículos, a Bugatti revelou um vídeo, para que o momento fique para a posterioridade e que para se perceba como estes monstros são construídos.